quinta-feira, 3 de Abril de 2014

O profundo silêncio das manhãs de domingo

Não, não foi lido num domingo e é de um autor português, desconhecia. Promete...
Capitulos curtos mas que estão cheio de vida, de significado, directos e ocultos. De uma visão diferente de ver a mesma coisa, tarefas e objectos mundanos da zona do Porto, possivelmente. Visto de uma tal janela e nuns domingos que na imaginação do autor se transfomam, criam alternativas ao seu conteúdo, a aparente função ou destino que têm. Daí se tranformar de uma mulher que assa castanhas para uma que cria nuvens e nevoeiro :)
Sinopse:
Domingo é um dia silencioso, já o sabíamos. Na serenidade dessas manhãs, porém, podem escutar-se melhor as histórias que o autor conta - a vida das pessoas quase iguais a nós, personagens desses profundos Domingos.
Boas leituras

quarta-feira, 2 de Abril de 2014

Gola circular

Uma colega, lá do trabalho, sabe fazer tricot e conversa puxa conversa começamos a incluir este tema até que chegou a certa altura em que ela disse traz agulha circular e novelo e começamos. Bem dito bem feito.
Mostro o inicio do meu tricot, vou fazer uma gola em formato circular, daquelas que depois não é necessário unir as duas pontas. Escolhi um novelo, que para ali tinha, 100% acrilico, nesta cor bonita, que esta na imagem, de azuis e castanhos. E se não estiver em erro será feito no ponto liga, acho.

Minha mãe, quando eramos miúdas, ensinou às filhas crochet, costura e tricot tal como se usava na altura. No crochet de vez em quando fui pegando um pouco, aqui e acolá, e retive esse pouco conhecimento enquanto que o outro sobre tricot perdeu-se. Ao pegar neste não me lembrei de nada e não me peçam para dizer como se faz... porque eu já não me lembro.

Frases indiscutivelmente verdadeiras

"O tempo pára, porém: é um comboio que se segue em direcção ao poente e que não se detém em estações ou apeadeiros, viagem só de ida, entre matas de eucaliptos e ribeiros mansos. O tempo não pára e marca o seu próprio ritmo, ainda que pareça suspenso no momento em que Marta e Ana se beijam na boca e sorriem.  Não se amam sequer, Ana e Marta, apenas se beijam  para aproveitar o tempo que passa, para que o mundo veja que são jovens e bonitas e rijas as carnes delas, perfumadas as suas bocas, frutas maduras os seios que roçam um no outro, os de Ana nos de Marta, e vice-versa; apenas se beijam porque a beleza é perecível e transitória e nenhuma delas sabe quanto tempo dura tal prenda - nem querem saber."
in Marmelo, Manuel Jorge. (2007) O Profundo Silêncio das Manhãs de Domingo. Colecção Inéditos Sábado. Edição Quasi. Vila Nova de Famalicão. Pág. 97

sábado, 29 de Março de 2014

Milhões de mulheres à espera de um encontro

Nunca pensei que iria gostar tanto deste livro, desta reflexão do ponto de vista masculino. Diga-se de passagem encontro similares pensamentos no feminino.
Recomendo
Sinopse:
Saiba o que os homens pensam sobre compromissos on-line. Sean Thomas despiu-se de preconceitos e a pedido do chefe, que dirigia uma revista para o público masculino embarcou na aventura dos encontros online. Já com trinta e sete anos e "ainda" solteiro, levemente desesperado, eis chegada a altura ideal de encontrar a mulher dos seus sonhos. Com uma forte dose de motivação, entusiasmo e a acreditar no destino, aventura-se no universo dos encontros cibernáuticos. Porém o capítulo dos finais felizes parece longe de se concretizar e Sean encontra um conjunto de mulheres que apenas têm em mente o prazer sexual e são bastante explícitas nas suas convicções. Mas com o tempo e depois de diversas aventuras mal sucedidas, o protagonista começa a compreender o mecanismo destes encontros, a decifrar as pistas e os sinais das mulheres verdadeiramente interessadas em encontrar um companheiro. Para isso, Sean tenta conhecer melhor o perfil de cada uma das candidatas, o que mesmo assim não o protege de situações inusitadas como o caso da chinesa que o perseguia, a galesa que o deixou por ele não gostar de sopa ou a jovem espirituosa que se revelou demasiado profissional. Um livro repleto de humor, com momentos hilariantes que nos revela, sem rodeios, o que os homens pensam sobre compromissos na Internet.
Boas leituras

Frases indiscutivelmente verdadeiras

"Qual é a forma normal...de conhecer mulheres? Isso existe? Não tenho a certeza. Tudo o que sei é que há tanto tempo que ando nisto dos encontros, que esqueci as subtilezas e as conversas de circunstância usadas nos encontros normais.
A sério. O que fazem? Como é que encontram mulheres casualmente, sem ser, por exemplo pela Internet? Começam simplesmente a conversar com elas nas paragens dos autocarros? Como eu com esta miúda aqui? E se elas vos viram as costas, como esta acaba de fazer?"
in Thomas, Sean. (2008) Milhões de Mulheres à espera de um encontro. Editorial Presença. Lisboa. Pág. 188

terça-feira, 25 de Março de 2014

O que plantei - como está

 A suculenta então está muito bonita, mas era só para mostrar fotos, visto que não foi plantada em dezembro do ano passado. Gosto adoro amo  como ela está   ♥(◕‿◕✿) 

E aqui estão elas. Acho que os alhos e cebolas estão prontos para a transplantação, eu é que não estou. Para breve. As outras consegue-se ver que o allium sphaerocephalon está bom e recomenda-se. Tenho também um rebento não sei se será tamara ou lychias, esperar para ver.

 Infelizmente a serissa já viu melhores dias. Com a chegada da primavera não rebentou ainda, estive a ver os ramos maiores mas estão secos nem o cogumelo se manteve durante o inverno apesar do frio. Pode ser que ainda tenha mais pequenos no musgo a brotar.

segunda-feira, 24 de Março de 2014

Frases indiscutivelmente verdadeiras

"Alguns dos monges do bar agiam como mulheres (eu sei que isto não é difícil quando se está a usar um vestido preto até aos pés, mas mesmo assim!): estavam a agir de modo coquete, fazendo-se submissos ou provocadores. Outros adoptavam um papel masculino, agitando os braços no ar, ostentando as suas grandes barbas negras, arrotando à medida que ingeriam o seu retsina. E isto ensinou-me que, apesar de todas as diferenças entre os homens e as mulheres, os homens necessitam desesperadamente delas; porque um mundo sem mulheres é um mundo sem cor e sem finalidade. Inconcebivelmente monótono. E nós sabemos isto porque quando não há mulheres, os homens tentam desesperadamente inventá-las. E falham."
in Thomas, Sean. (2008) Milhões de Mulheres à espera de um encontro. Editorial Presença. Lisboa. Pág. 127